Badoca Safari Park

savana
http://badoca.pt/wp-content/themes/badoca_theme/images/headers/header-girafa.jpg
corner

Girafa

Giraffa camelopardalis

Classificação

Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Giraffidae

Habitat

A girafa percorre as savanas e bosques abertos, desde o sul do Sahara ao sul do continente africano, alimentando-se de folhas, rebentos e frutos de acácias.

Caracterização

Existe apenas uma espécie de girafa, sendo reconhecidas nove subespécies, que se distinguem pelo padrão da pelagem – que varia com a localização geográfica do território – e pelo número de chifres (enquanto numa só existem dois, outras apresentam um terceiro chifre no meio da fronte e outras podem apresentar cinco), presentes em ambos os sexos.
Os chifres começam por ser constituídos por cartilagem, tornam-se depois ósseos a partir da ponta; são cobertos por pele.
O seu alimento preferido, por serem ricas em água, são as muito espinhosas folhas das acácias, uma dieta que lhes permite aguentar mais de um mês sem beber, o que implica que, geralmente, não façam migrações durante a estação seca. No entanto, esta dieta é pobre em sais minerais, que a girafa obtém comendo pintos e ovos que, literalmente, lhe aparecem à frente, e mordiscando ossos de carcaças abandonadas.

A girafa é o mamífero mais alto que existe, podendo alguns exemplares atingir os 6 m de altura e os 1200 kg de peso. A sua silhueta de dorso inclinado e patas anteriores mais altas (até 1,80 m) é inconfundível e os seus grandes olhos e orelhas são dos traços mais característicos da espécie.

Pacífica e não territorial, a girafa vive em grupos instáveis (entre quatro e trinta animais). Apesar de praticamente não ter predadores fica mais vulnerável quando bebe água, quando é jovem ou quando está doente. No entanto, as suas fortes patas podem desferir coices capazes de matar um leão.
As crias, cujo peso à nascença pode chegar aos 100 kg, caem de 2 m de altura quando nascem, pois a progenitora não se deita aquando do parto, que acontece após um período de gestação de quinze meses. Uma hora após o parto a cria já está de pé e começa a mamar. Após ultrapassar o crítico primeiro ano de vida, a girafa pode viver até aos vinte e oito anos.

Curiosidades

Devido ao seu grande tamanho, os vasos sanguíneos do pescoço da girafa (que tem sete vértebras, como o dos restantes mamíferos) possuem válvulas que impedem o sangue de se acumular no crânio, provocando danos cerebrais, quando esta baixa a cabeça.
Por volta do ano 1500 a.C., já os Egípcios tinham girafas em cativeiro. Este povo acreditava que a girafa descendia do cruzamento entre uma fêmea de camelo e um macho leopardo («camelopardo»), daí a proveniência do seu nome científico camelopardalis.