Badoca Safari Park

savana
http://badoca.pt/wp-content/themes/badoca_theme/images/headers/header-chital.jpg
corner

Chital

Cervus axis

Classificação

Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Cervidae

Habitat

Esta espécie vive nos bosques abertos e pradarias da Índia e do Ceilão, preferindo viver na proximidade da água. A sua beleza e docilidade levou a que fosse introduzida em parques de todos os continentes.

Caracterização

Os animais desta espécie vivem em grandes manadas, formadas por machos, fêmeas e crias e lideradas por um macho experiente. O chital tem cerca de 90 cm de altura, sendo os machos um pouco maiores e mais pesados que as fêmeas. Só os machos possuem hastes, que todos caem todos os anos para voltar a crescer na estação seguinte. Tanto adultos como jovens possuem as características pintas brancas marcando o pêlo avermelhado. O ventre, o interior das pernas e a parte inferior da cauda são brancos.
A base da sua alimentação são folhas, raízes, tubérculos e ervas da flora local.
Após um período de gestação de cerca de sete meses, a fêmea dá a luz uma cria (raramente duas), que é desmamada quando chega às cinco semanas de vida, podendo ter uma longevidade de dez anos (até vinte anos, em cativeiro).

Curiosidades

Devido ao seu enorme tamanho, cornos possantes, muito unidos enquanto grupo, estes búfalos são um adversário difícil. É por isso que poucos são os predadores que se atrevem a desafiá-los. Quando porém são atacados têm os cornos e a força bruta para se defenderem e conseguem correr à velocidade de 50-60 km/h, durante curtas distâncias para fugirem.
Adoram lama, cobrindo-se com ela e deixando-o secar para formar uma camada protectora contra insectos picadores.
As mães são muito protectoras da sua prole e levam essa protecção ao limite, pondo em risco a sua vida.
A população actual destes animais está estimada em cerca de 900.000 indivíduos em todo o mundo. No passado a situação foi bem diferente. Nos finais do século XIX foram exterminados por uma epidemia que eliminou 90% de toda a população, nunca ocorrendo uma completa recuperação aos números de então.